Proibição da TikTok nos EUA pode eliminá-la das lojas de aplicativos, Anunciantes: Documento da Casa Branca

TikTok processado por empresa de tecnologia vietnamita alegando violacao de

A ordem executiva do presidente Donald Trump proibindo o TikTok da China pode impedir que as lojas de aplicativos dos EUA ofereçam o popular aplicativo de vídeo curto e torne a publicidade ilegal na plataforma, de acordo com um documento da Casa Branca visto pela Reuters.

Trump assinou um pedido na semana passada proibindo transações com a TikTok se sua controladora ByteDance não chegar a um acordo para desinvesti-la em 45 dias. Não especificou o escopo da proibição, declarando apenas que o Departamento de Comércio dos Estados Unidos definiria quais transações seriam barradas ao final do período de 45 dias.

O documento da Casa Branca, enviado aos apoiadores na semana passada, fornece uma visão sobre o pensamento do governo Trump. Isso mostra que o governo dos EUA está considerando interromper os principais aspectos das operações e do financiamento do TikTok, em meio a preocupações com a segurança dos dados pessoais que o aplicativo trata.

“As transações proibidas podem incluir, por exemplo, acordos para disponibilizar o aplicativo TikTok em lojas de aplicativos … compra de anúncios no TikTok e aceitação dos termos de serviço para baixar o aplicativo TikTok em um dispositivo do usuário”, afirma o documento.

Uma fonte familiarizada com o documento da Casa Branca verificou sua autenticidade. A TikTok não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Alguns especialistas da indústria de tecnologia disseram que eliminar a capacidade do TikTok de ser oferecido nas lojas de aplicativos Alphabet, da Apple e do Google, que por sua vez permitem que ele seja baixado em smartphones iPhone e Android, pode prejudicar o crescimento do aplicativo.

“Isso mata o TikTok nos Estados Unidos”, disse James Lewis, especialista em segurança cibernética do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, com sede em Washington. “Se eles querem crescer, essas regras são um grande obstáculo.”

Ele acrescentou, porém, que o governo dos EUA pode não ser capaz de impedir que os americanos baixem o TikTok de sites estrangeiros.

A Apple e a Alphabet não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

Seguindo a ordem executiva de Trump na semana passada, a TikTok disse aos anunciantes que continuaria a honrar as campanhas de anúncios planejadas, reembolsaria as que não pudesse cumprir e trabalharia com os principais influenciadores para migrar para outras plataformas em caso de proibição. Alguns anunciantes disseram à Reuters que estavam elaborando planos de contingência e considerando outros aplicativos para seu marketing.

Não está claro se a ordem de Trump será implementada. A Microsoft tem liderado negociações para adquirir as operações da TikTok na América do Norte, Austrália e Nova Zelândia sob a supervisão da administração Trump. Um negócio bem-sucedido tornaria a proibição de transações com o TikTok discutível.

O documento da Casa Branca visto pela Reuters não está claro se os Estados Unidos implementariam uma repressão semelhante ao WeChat, o aplicativo de mídia social pertencente à Tencent Holdings da China que Trump também tentou proibir em uma ordem executiva na semana passada.

A TikTok, que disse estar explorando desafios legais ao pedido de Trump, tem 100 milhões de usuários ativos nos Estados Unidos e é especialmente popular entre os adolescentes. Ela afirmou que os dados dos usuários dos Estados Unidos estão armazenados com segurança nos Estados Unidos e em Cingapura e que não entregaria essas informações ao governo chinês.

© Thomson Reuters 2020


Nord é o iPhone SE do mundo OnePlus? Discutimos isso no Orbital, nosso podcast semanal de tecnologia, que você pode assinar via Podcasts da Apple, Podcasts do Google, ou RSS, baixe o episódioou apenas aperte o botão play abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *