ONU relata forte aumento no crime cibernético durante a pandemia

ONU relata forte aumento no crime cibernetico durante a pandemia

Um aumento de 350 por cento em sites de phishing foi relatado no primeiro trimestre do ano, muitos visando hospitais e sistemas de saúde e dificultando seu trabalho de resposta à pandemia COVID-19, disse o chefe de contraterrorismo da ONU na quinta-feira.

Vladimir Voronkov disse ao Conselho de Segurança da ONU que o aumento de sites de phishing foi parte de “um aumento significativo no crime cibernético nos últimos meses” relatado por palestrantes na primeira Semana Virtual de Contraterrorismo nas Nações Unidas no mês passado.

Ele disse que a ONU e os especialistas globais ainda não entendem totalmente “o impacto e as consequências da pandemia na paz e segurança globais e, mais especificamente, no crime organizado e no terrorismo”.

“Sabemos que os terroristas estão explorando a perturbação significativa e as dificuldades econômicas causadas pela COVID-19 para espalhar o medo, o ódio e a divisão e radicalizar e recrutar novos seguidores”, disse Voronkov. “O aumento do uso da Internet e dos crimes cibernéticos durante a pandemia agravam ainda mais o problema.”

A reunião de uma semana contou com a presença de representantes de 134 países, 88 organizações da sociedade civil e do setor privado, 47 organizações internacionais e regionais e 40 organismos das Nações Unidas, disse ele.

O subsecretário-geral Voronkov disse que as discussões mostraram um entendimento e preocupação compartilhados de que “os terroristas estão gerando fundos com o tráfico ilícito de drogas, bens, recursos naturais e antiguidades, bem como sequestro para resgate, extorsão e outros crimes hediondos”.

Ele disse que os países membros da ONU “estão corretamente focados em lidar com a emergência de saúde e a crise humana causada pelo COVID-19”, mas exortou-os a não esquecerem a ameaça do terrorismo.

Em muitas partes do mundo, disse Voronkov, “os terroristas estão explorando as queixas locais e a má governança para se reagrupar e afirmar seu controle”.

“A pandemia tem o potencial de agir como um catalisador na disseminação do terrorismo e do extremismo violento ao exacerbar as desigualdades, minar a coesão social e alimentar conflitos locais”, disse Voronkov. “Devemos continuar nossa luta contra grupos terroristas e redes criminosas para negar a eles a oportunidade de explorar a crise COVID-19.”

Ghada Waly, diretora executiva do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, com sede em Viena, disse na reunião do conselho sobre a ligação entre o contraterrorismo e o crime organizado transnacional que as ligações são “complexas e multifacetadas” e “a crise do COVID-19 representa um anfitrião de novos desafios para as autoridades nacionais. ”

“Grupos criminosos organizados e terroristas podem buscar capitalizar e explorar novas vulnerabilidades”, disse ela, “e os padrões de trânsito estão mudando devido às restrições de viagens e medidas de bloqueio, adicionando mais desafios para a segurança das fronteiras”.

Waly disse: “Respostas abrangentes e cooperativas são necessárias mais do que nunca.”


Nord é o iPhone SE do mundo OnePlus? Discutimos isso no Orbital, nosso podcast semanal de tecnologia, que você pode assinar via Podcasts da Apple, Podcasts do Google, ou RSS, baixe o episódioou apenas aperte o botão play abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *