O Google para de responder diretamente às solicitações de dados do governo de Hong Kong

Leilao de pesquisa do Google Europe Android Bing PrivacyWall Infocom

O Google, da Alphabet, disse na sexta-feira que não forneceria mais dados em resposta a pedidos das autoridades de Hong Kong após a promulgação de uma nova lei de segurança nacional imposta pela China.

A gigante da tecnologia dos Estados Unidos não produziu nenhum dado desde que a nova lei abrangente entrou em vigor em junho e não responderá diretamente a esses pedidos daqui em diante, acrescentou.

“Como sempre, autoridades fora dos Estados Unidos podem buscar dados necessários para investigações criminais por meio de procedimentos diplomáticos”, disse o Google em um comunicado por e-mail.

O Google revisou todas as solicitações de dados do usuário e rejeitou as “excessivamente amplas” para proteger a privacidade dos usuários, acrescentou.

Jornal The Washington Post relatado No início da sexta-feira, o Google pararia de responder diretamente às solicitações de dados das autoridades de Hong Kong, o que implica que a empresa agora trataria Hong Kong da mesma forma que a China continental em tais negociações.

A lei de segurança nacional atraiu críticas do governo do presidente dos EUA, Donald Trump, e aumentou ainda mais as tensões entre os EUA e a China após a decisão de Washington de encerrar o status especial da ex-colônia britânica sob a lei dos EUA.

O Google notificou a polícia de Hong Kong na quinta-feira que orientaria as autoridades a perseguir quaisquer pedidos de dados por meio de um Tratado de Assistência Jurídica Mútua com os Estados Unidos, que envolve o encaminhamento através do Departamento de Justiça dos EUA, informou o Washington Post.

Em julho, Facebook, Google e Twitter suspenderam o processamento de solicitações governamentais de dados de usuários em Hong Kong.

As empresas de tecnologia há muito operam livremente em Hong Kong, um centro financeiro onde o acesso à Internet não é afetado pelo firewall imposto na China continental, que bloqueia o Google, Twitter e Facebook.

© Thomson Reuters 2020


O governo deve explicar por que os aplicativos chineses foram proibidos? Discutimos isso no Orbital, nosso podcast semanal de tecnologia, que você pode assinar via Podcasts da Apple, Podcasts do Google, ou RSS, baixe o episódioou apenas aperte o botão play abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *